06 de maio de 2015

Coaching

Seu foco esta na solução ou no problema?

O Coaching também utiliza as ferramentas de comportamento cognitivo para entender as necessidades, interesses, impedimentos e determinar os objetivos do processo. É através do trabalho na mudança de comportamentos que o Coach auxilia seu cliente para o alcance das suas metas. “Entender o que fazemos pode não ser suficiente para iniciarmos uma mudança de comportamento” sentencia A. Freeman, famoso psicoterapeuta cognitivo. Autor do artigo: Nilson Redis Caldeira


Seu foco esta na solução ou no problema?

Para a terapia cognitiva as respostas emocionais, comportamentais e a própria motivação não são efetivamente influenciadas por situações, mas pela forma como processamos essas situações.

Analisando este modelo percebemos que as reações que muitas vezes temos no ambiente empresarial não foram motivadas pela causa aparente, mas sim pela forma como processamos o evento ocorrido.

Por exemplo; um funcionário faz algo que nos desagrada e temos uma reação intempestiva, esta reação é baseada não somente no fato ocorrido, mas na percepção que temos do funcionário, no seu histórico, na forma como a presença dele nos afeta, enfim, num emaranhado de relações emocionais.

Isto justifica, por exemplo, aquela famosa frase “fazer tempestade em copo de água”, onde a partir de um fato sem tanta importância, temos uma reação desmedida.

 

Como gerenciar melhor nossas reações

O Coaching também utiliza as ferramentas de comportamento cognitivo para entender as necessidades, interesses, impedimentos e determinar os objetivos do processo. É através do trabalho na mudança de comportamentos que o Coach auxilia seu cliente para o alcance das suas metas.

“Entender o que fazemos pode não ser suficiente para iniciarmos uma mudança de comportamento” sentencia A. Freeman, famoso psicoterapeuta cognitivo.

Desta forma ao invés de uma abordagem orientada ao problema, o Coaching passa para uma abordagem focada na solução.

 

Como focar na solução

Cada processo é personalizado avaliando as necessidades do cliente e utilizando uma orientação focada no aprendizado. Uma contribuição importante neste processo é o foco no problema e não na reclamação. Não se podem estabelecer objetivos direcionados quando a pessoa esta em fase de reclamação, pois a reclamação pode não significar um problema efetivo da pessoa, mas sim hábitos, comportamentos e crenças adquiridos que são repetidos de forma automática, como afirmamos no início do artigo.

Em um processo de Coaching estas reclamações são avaliadas e identificam-se aquelas que são efetivamente um problema, pois somente a partir de um problema que poderemos avaliar se ele interfere no processo para alcance das metas.

 

Flexibilidade dos nossos hábitos

Outro foco importante é encorajar a flexibilidade do indivíduo, pois como se trabalha efetivamente de comportamentos fortemente arraigados muitas vezes acaba não existindo nem a hipótese de caminhos alternativos. A maior escravidão acaba sendo a escravidão aos nossos hábitos.

É claro que estes hábitos proporcionam algo de valor para o indivíduo, porém com o tempo e com objetivos diferentes estes hábitos podem não mais servir aos nossos propósitos.

 

Comportamentos repetitivos

Os comportamentos são baseados em esquemas que se repetem. O processo de coaching identifica este esquema para entender melhor às motivações e a personalidade do indivíduo.

Um exemplo claro é da pessoa que deixa seu escritório extremamente organizado. A motivação para isto pode variar desde “não consigo trabalhar com bagunça” ou ”as pessoas vendo que tudo esta com boa aparência podem imaginar que mantenho tudo sob controle”.

 

Uma reflexão

Uma boa reflexão é saber quais as nossas atitudes que fazemos de forma automática sem entender a real necessidade desta atitude. Como temos muitos hábitos estes hábitos acabam inclusive sendo validados pelas pessoas que nos cercam afinal as pessoas esperam que tenhamos comportamentos previsíveis e acabam nos tratando também de forma previsível.

 

Mudando o esquema

Mudar o esquema pode vir a ser uma ferramenta importante para o indivíduo atingir suas metas de acordo com. Isto passa pelo processo de avaliação da construção, reconstrução, modificação, re-interpretação e camuflagem que cada tem dos seus esquemas.

Dentro deste processo identifica-se a intensidade da eficácia de cada um dos padrões inclusive determinando padrões de comportamento que deverão ser usados no processo de coaching.

A mudança efetiva se dá a partir da seguinte equação:

mudança efetiva = M + H +A ou seja o indivíduo só consegue mudar quando ele possui a Motivação para mudança, Habilidade para saber mudar e um Ambiente que dê apoio a estas mudanças.

 

Conclusões

Sugiro uma tarefa para os leitores nos próximos dias. Quando se virem diante de uma situação problemática, parem e reflitam até que ponto o seu foco esta no problema ou na solução. Pode ser que sua atenção esteja circulando entre um e outro ponto. Não deixe funcionar o “piloto automático” das suas reações. Assuma conscientemente a situação e comece a concentrar sua energia e atenção nas prováveis soluções para a questão. Faça e depois me conte como você se sentiu!

Veja também


- Édipo nos ensina que para sermos verdadeiros é necessário aprendermos a desnudar a nossa alma.
- Aprendendo a usar seus dons com a Medusa.
- O que o mito de Narciso pode nos ensinar?
- Coaching no divã. O impacto das ferramentas de Coaching na psicoterapia.
- Você quer melhores resultados da equipe?
Comentários


Logo Reconectar

Vendas, negociação, liderança e coaching